MATERIAIS E SISTEMAS CONSTRUTIVOS À BASE DE TERRA

A terra é um material muito eficiente nas construções, e costuma estar disponível em grande quantidade, no próprio local. Isso faz com que as casas de terra sejam uma opção econômica e sustentável.

Paradigmas associados à construção com terra

A construção com terra foi muito utilizada no passado, até o crescimento do processo de industrialização no século XIX. Após essa época, a terra passou a ser utilizada apenas pelas pessoas de baixa renda, e isso gerou um certo preconceito com o material, como se ele tivesse baixa qualidade.

Alguns sistemas construtivos com terra são realmente muito simples, com visual rudimentar e menor resistência. Mas outros  apresentam melhores resultados de durabilidade e aparência. Na verdade, até os sistemas mais simples, quando feitos de maneira adequada, também têm muito mais qualidade. Esse fato tem se popularizado cada vez mais, e a terra voltou então a ser utilizada nas construções.

casas de terra

Como construir com terra

As construções de terra ainda são pouco conhecidas, por isso existe uma certa dificuldade para conseguir aprovação em algumas localidades. E elas são normalmente feitas por mutirões de pessoas, e não por construtoras. É uma forma de fazer a própria casa com as próprias mãos.

De qualquer forma, para construir com terra é preciso tomar vários cuidados, assim como em qualquer construção. Se a casa for feita sem conhecimento, podem surgir rachaduras e a casa pode até cair. Por isso é essencial fazer cursos e acompanhar outras construções antes de fazer a sua, ou então contratar serviços de confiança.

Vídeo de casas de terra

Veja no vídeo abaixo alguns exemplos de casas feitas com terra:

Sistemas construtivos com terra

  • Pau a pique ou taipa de pilão

O pau a pique é uma técnica simples e antiga de construção com terra, que consiste em painéis vazados feitos com madeiras (normalmente bambus) dispostos na vertical e na horizontal, que são então preenchidos com terra formando as paredes.

A construção de pau a pique, quando mal executada e mal acabada, pode se degradar em pouco tempo, apresentar rachaduras e fendas. Alguns roedores e insetos se instalam nestas aberturas, podendo transmitir doenças. Quando bem executada, no entanto, com uma base de pedra  de 50 a 60cm para afastá-la do solo, além de ter as paredes rebocadas e protegidas por telhados com beiral, essa degradação não acontece. Existem também versões modernizadas da técnica de pau a pique, que utilizam ferro ou arame no lugar das madeiras e cipós. Essa nova técnica é chamada de quincha metálica ou tecnobarro.

  • Adobe

O adobe também é um sistema construtivo bem antigo de construção com terra. Ele é feito com tijolos de terra, que considera-se que foram os antecedentes históricos dos tijolos de barro. Adobes são tijolos de terra crua, água e palha e algumas vezes outras fibras naturais, moldados em fôrmas por processo artesanal ou semi-industrial. A construção feita com este tijolo torna-se muito resistente, e o interior das casas muito fresco, suportando muito bem as altas temperaturas. E assim como o pau a pique, o adobe precisa dos cuidados de elevação da base das paredes do solo com uma base de 50 ou 60cm e da proteção dos beirais do telhado para se manter intacto.

  • Superadobe

O superadobe é um sistema que também utiliza terra para erguer as paredes, mas nesse caso a terra fica dentro de sacos. Esses sacos são empilhados e compactados manualmente, formando paredes estruturais muito resistentes. Cada fileira de sacos de terra é prensada e colocada sobre a outra com um arame no meio, que prende as duas camadas e dá mais estabilidade. No final as paredes são revestidas com reboco e pintura, que também podem ser naturais. Saiba mais sobre o superadobe aqui.

  • Hiperadobe

O sistema construtivo conhecido como hiperadobe é muito parecido com o superadobe. Também são empilhados sacos com terra, mas com a diferença de material desses sacos, que no hiperadobe são de ráfia ao invés do polipropileno usado no superadobe. Esse material facilita a construção, pois dispensa o uso dos arames entre os sacos, que não escorregam com facilidade como os sacos de polipropileno.

  • Tijolos ecológicos

O tijolo ecológico é também conhecido como tijolo de solo-cimento, pois é feito a partir da mistura de terra, cimento, areia e aditivos, que são prensados em uma máquina específica para essa finalidade. Eles são estruturais e apresentam visual e desempenho bem superior aos tijolos de adobe, contando inclusive com furos na parte interna para a passagem da tubulação. Saiba mais sobre os tijolos ecológicos aqui.

casas de terra - tijolo ecológicoImagem: Modular Tijolos

  • COB

Na técnica construtiva conhecida como COB a terra não é ensacada nem transformada em blocos, e sim usada com uma massa que esculpe cada parede. A mistura que compõe o COB leva, além da argila e da areia, uma certa quantidade de palha, que é o elemento que dá mais estrutura à composição, e impede que ela se desfaça. Saiba mais sobre as construções de COB aqui.

Materiais à base de terra

  • Tinta de terra

A tinta de terra pode ser feita em casa ou então comprada pronta. Ela tem tons de marrom, amarelo e laranja, dependendo do tipo de solo utilizado. Saiba mais sobre a tinta de terra aqui.

  • Argamassa de terra

A função da argamassa em uma construção é a de assentar e colar os blocos ou então ser aplicada sobre a parede para aplicar revestimentos diversos, como cerâmica ou pintura. A argamassa normalmente é feita por uma mistura de cimento, agregados (pedras), aditivos e água. A versão feita com argila pode ser usada no lugar do cimento em paredes internas para assentar os acabamentos, com um melhor desempenho termo-acústico. Ela serve ainda para reduzir a umidade dos ambientes, pois deixa a parede “respirar”. Saiba mais sobre a argamassa de argila aqui.

Cursos e e-books que você pode gostar:
Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *