DICAS PARA ESCOLHER O TERRENO

O bom projeto começa pela escolha do terreno, que deve levar em consideração questões técnicas, financeiras e de gosto pessoal.

– Veja se o terreno está com a documentação em ordem

Para começar, é sempre bom verificar a documentação do terreno antes de comprar, para garantir que ele esteja realmente sem pendências burocráticas. Terrenos com escritura pública são teoricamente mais confiáveis do que aqueles com escritura de posse, pois essa só é oficializada após alguns anos de propriedade, através do processo chamado de usucapião. Outros documentos a serem solicitados, além da escritura, são:

– Certidões cíveis, de protesto, de execuções fiscais e de ações federais do proprietário e do cônjuge, para ver se existem ações contra o proprietário envolvendo o terreno em questão;
– Certidão Negativa de Débitos (CND) do INSS, caso o vendedor seja pessoa jurídica;
– Certidão Negativa de Débitos Municipais, que mostra se existem dívidas com o município referentes ao terreno;
– Carnê do IPTU, no qual constam as metragens do terreno e seu valor venal.

– Analise a localização do terreno

É essencial checar se o local onde o terreno está tem a ver com o estilo de vida pretendido e se encaixa com as suas necessidades e preferências, incluindo a distância em relação ao comércio e serviços, disponibilidade de transporte público, segurança e vizinhança.

– Verifique a infra-estrutura disponível

Alguns terrenos, especialmente os mais baratos e afastados do meio urbano, não possuem a infra-estrutura básica de hidráulica e elétrica já instaladas. Portanto, dependendo do grau de dificuldade de cada local para criar essas instalações, o barato pode sair caro. É bom então checar de onde essas tubulações e fios teriam que vir, para pesar na balança.

Vista da área de lazer a partir do terreno.Terreno à venda em Atibaia – Clique para saber mais.

– Considere o estado atual do terreno

Terrenos limpos, ou seja, sem vegetação, estão prontos para construir, dispensando então gastos futuros com a retirada das plantas e nivelamento do terreno. É possível, no entanto, preservar pelo menos algumas árvores existentes no local, criando projetos que se adaptem a elas, ou deslocá-las ao invés de simplesmente cortar. (Ver também: “Ideias para Construir Respeitando as Árvores“)

 – Escolha a inclinação ideal

Terrenos com aclive ou declive podem ter vistas privilegiadas e propiciarem a criação de projetos mais interessantes em termos de volumetria externa e interna, mas em compensação requerem um gasto maior na hora de construir, seja para planificar algumas áreas ou para criar fundações e estruturas que mantenham as lajes independentes do terreno. Então vale pensar um pouco e escolher o que é mais importante naquele momento, para cada um.

– Tente descobrir o tipo de solo do local

A análise aprofundada do tipo de solo, conhecida como sondagem, é um serviço pago, a ser feito antes da construção, mas depois da compra, logicamente. Mas antes mesmo de comprar é possível ter alguma noção sobre as condições do solo do local, para saber se ele trará dificuldades na hora de construir, exigindo fundações diferenciadas ou reforçadas. Terrenos muito próximos à praia, por exemplo, costumam ser mais arenosos, e por isso mais instáveis, e muitas pedras sugerem que o terreno está próximo de rios e córregos, o que exigirá também fundações muito profundas. Vale a pena, se houver essa possibilidade, conversar com outros moradores do local, que tenham construído por ali, para saber se eles tiveram algum tipo de dificuldade nesse sentido.

– Estude a insolação e a vista

Embora o estudo mais detalhado de insolação, ventilação e aproveitamento da vista seja desenvolvido durante o projeto arquitetônico, é possível considerar alguns pontos básicos quanto a esses elementos na hora de escolher o terreno. Se o sol bater apenas na frente do lote, e a ideia for ter maior privacidade em relação à rua, por exemplo, é possível perceber que a construção acabará ficando pouco iluminada, então é melhor procurar um pouco mais. Se o local com a melhor vista for também o lado de incidência de luz e de ventos, aí sim o terreno ganha pontos positivos, bastando que o projeto de arquitetura feito em seguida aproveite esta vantagem. (Ver também “Ventilação Natural“)

Cursos e e-books que você pode gostar:
Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *