MADEIRAS DE DEMOLIÇÃO

Madeiras de demolição são madeiras de lei reaproveitadas, ou seja, madeiras naturais extremamente fortes e robustas que já foram utilizadas em alguma construção e posteriormente, com a demolição ou desmanche dessa obra, tornaram-se disponíveis para nova utilização.

As madeiras de lei estão proibidas de serem extraídas diretamente da natureza, portanto a única forma de usá-las na decoração é através do reaproveitamento. E o efeito que elas geram é sempre significativo, agregando rusticidade e imponência à ambientação.

A madeira de demolição mais comum é a peroba rosa, que foi muito utilizada antigamente na construção de casas e tulhas de armazenamento de grãos em zonas rurais. Outros tipos de madeira de lei também comuns são o ipê, o jacarandá, o carvalho e o angelim.

madeira de demolição dormentes

Dormentes de madeira. Imagem: Madeira de Demolição

Os dormentes de madeira e as cruzetas são madeiras de demolição extraídas, no primeiro caso, de trilhos de trem, e no segundo de postes de energia, e são muito procurados para a reutilização em construções e na decoração. Os dormentes podem virar pisos, cercas, pergolados e móveis, sempre agregando valor aos espaços por seu visual robusto e cheio de detalhes, mas também exigindo manutenção por serem materiais naturais.

madeira de demolição cruzetas

Piso em cruzetas de madeira. Imagem: Madeira de Demolição

Embora originalmente as madeiras de demolição tenham sido retiradas da natureza de maneira predatória, o seu reaproveitamento é considerado ecológico, pois evita o desperdício e gastos de energia com a produção de novos materiais.

Imagem de capa: Madeira de Demolição

Cursos e e-books que você pode gostar:
Veja também:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *